segunda-feira, 14 de abril de 2014

Um tempo de descanso

Jardim da casa onde fiquei, local onde eu rezava em silêncio absoluto.
   Nesse fim de semana, aventurei-me à Brasília a fim de fazer um retiro espiritual destinado a jovens universitários. Embora eu tenha tido uma ótima viagem até a capital, fiquei perdido por lá, ao que parece, eu devia ter ido para a casa onde nos encontraríamos que fica na asa norte, mas me confundi e fui para o outro lado, mas com um ônibus eu logo estava no local certo. O importante é que aprendi uma valiosa lição: nunca peça informação para um brasiliense!
   Mas chegando ao ponto de encontro, reuni com os colegas que fariam aquele retiro comigo, então partirmos para a casa onde ficaríamos, uma chácara isolada.
   Acho muito bom fazer um retiro de silêncio absoluto uma vez por ano. É um tempo muito bom para refletir sobre como anda minha vida e o que posso fazer para melhorar.
Algumas pessoas dizem que não aguentam ficar em silêncio, mas eu gosto bastante, posso dizer até que tenho essa necessidade, na correria do dia-a-dia, preciso de paz para organizar minha vida. Esse retiro trouxe isso muito bem, descansei mentalmente e pude pensar bem na minha vida. Resolvi muitas questões pendentes que me afligiam e planejei o resto do meu ano.
   O pregador, Pe. Gustavo, era muito bom e a comida do lugar era de se comer rezando (literalmente). O ambiente era perfeito e posso dizer que foi revigorante.
   Uma coisa curiosa que aconteceu foi em que determinado momento, um barulho irritante começou a me incomodar. Fiquei procurando o que poderia ser até que vi que eram os tique-taques do meu relógio... estava tudo tão quieto que eu podia ouvir o barulho do relógio e me incomodar com ele.

   Bom, passado o retiro, tive uma ótima viagem de volta para minha cidade natal, Anápolis, e declaro que estou pronto para voltar ao batente, pois como disse um amigo que fazia retiro lá também, "o retiro verdadeiro começa agora".